Login
Como criar uma rede de apoio em tempos de isolamento social

19/10/2020

Como criar uma rede de apoio em tempos de isolamento social

Se lidar com a gestação já não é sempre um mar de rosas em tempos normais, em tempos de pandemia e isolamento social essa tarefa pode se tornar um pouquinho mais complicada. E é por isso que uma rede de apoio de pessoas que possam nos ajudar e ouvir é sempre importante. Mas como montar uma rede de apoio quando precisamos nos resguardar em casa? Nós reunimos aqui algumas sugestões que podem te ajudar.

A gravidez envolve sempre um misto de emoções. Além da felicidade de ver um ser crescendo dentro da gente e a expectativa de saber como será esse bebê quando nascer, há também uma série de inseguranças. Nem sempre temos certeza de que estamos fazendo tudo certo, há o medo de não conseguir ser uma mãe perfeita, entre outras questões. Se lidar com a gestação já não é sempre um mar de rosas em tempos normais, em tempos de pandemia e isolamento social essa tarefa pode se tornar um pouquinho mais complicada. E é por isso que uma rede de apoio de pessoas que possam nos ajudar e ouvir é sempre importante. Mas como montar uma rede de apoio quando precisamos nos resguardar em casa? Nós reunimos aqui algumas sugestões que podem te ajudar.

A importância da rede de apoio:

Quem é gestante ou mãe sabe: lidar com uma gestação ou cuidar de um bebê recém-nascido sem ajuda é muito complicado. A gravidez envolve uma série de desafios com os quais nem sempre vamos conseguir lidar sozinhas. Ter um marido presente ajuda muito, mas é preciso também ter o apoio da família e, se possível, de outras mães e gestantes que estão passando ou que já passaram pelas mesmas questões que a gente. Ter uma rede de apoio que possa tirar um pouco a carga pesada da maternidade e que seja capaz de nos auxiliar nas dúvidas que vão surgindo pelo caminho é essencial para tornar a caminhada mais prazerosa e mais leve.

Como manter uma rede de apoio em tempos de pandemia:

Grupos em redes sociais são uma boa alternativa:

Para não se sentir tão solitária em tempos de isolamento social e para conseguir trocar experiências com outras mães e gestantes, uma boa ideia é procurar por grupos em redes sociais. Caso você não se sinta confortável em dividir suas experiências com estranhos, uma boa ideia é unir amigas que estejam grávidas ou que tenham tido filhos há pouco tempo e criar um grupo em algum aplicativo como WhatsApp ou Telegram. Como nem sempre é possível fazer reuniões presenciais, os grupos online podem ser uma boa alternativa para trocar experiências, sanar dúvidas ou simplesmente conversar.

Mantenha uma rotina de conversa com amigos e familiares:

Em tempos de isolamento social, a rotina pode se tornar um pouco solitária. Por isso é interessante que você crie uma rotina para conversar com aquelas pessoas que costumava ver com frequência. Estipule um horário para ligar uma ou duas vezes por semana para aquela amiga querida, crie o hábito de fazer chamadas em vídeos com seus pais e familiares, marque chás da tarde ou almoços virtuais com um grupo de amigas com quem você goste de conversar e possa desabafar. Tudo isso faz com que você se sinta menos só e também ajuda a dividir as experiências da gravidez.

Converse com seu médico sobre uma rede de apoio após o nascimento do bebê:

Caso o nascimento do bebê esteja programado para logo, enquanto o coronavírus ainda é uma questão, uma boa ideia é conversar com seu médico sobre formas seguras de ter uma rede de apoio dentro de casa. Escolher dois familiares como sua mãe e irmã ou duas amigas que possam te ajudar com o bebê quando for necessário. Essas pessoas teriam que ser instruídas sobre como podem tomar todos os cuidados necessários para não oferecerem risco de contágio para você ou para o bebê.

Mesmo em tempos incertos como o que vivemos, a gestação ainda é uma fase mágica da vida de qualquer mulher e ter uma rede de apoio ainda que virtual pode fazer com que você aproveite ainda mais cada momento.

Voltar para o Blog
 ".(5385*5728)."